Pesquisar este blog

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O AZEDUME DO DIABO E O LIVRAMENTO DE DEUS



 Como vencer as tentações?

   Na parábola do semeador vemos que alguns na hora da provação desistem. Não é pecado ser tentado e sim ceder à tentação. Jesus foi tentado em todas as coisas, mas sem pecado (Hb 4.15), todo o crente é tentado e tem em Deus os recursos para ser vencedor. As três principais fontes de tentação são o diabo, o mundo e a carne. (Ef 2.2, 3; Tg 4.4; 1Jo 2.15-17).

    A palavra nos exorta a sermos sóbrios e vigilantes porque o diabo nosso adversário ande em derredor como leão procurando alguém para devorar. (1Pe 5.8). Ele é o príncipe deste mundo e o seu objetivo principal é matar e destruir (Jô 10.10), cegar o entendimento dos incrédulos e neutralizar os crentes. Nesta primeira parte conheceremos a suas artimanhas, e na segunda parte, a estratégia de Deus para vencermos as tentações. As letras da palavra “AZEDUME” são as iniciais das artimanhas usadas pelo inimigo que estudaremos a seguir:

O A-Z-E-D-U-M-E DO DIABO
A – Alicia: O diabo tentará despertá-lo para os desejos da carne sem que você perceba que está caindo numa armadilha. As três áreas que ele irá usar para tentá-lo: A concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida. Jô 2.15-16; Gn 3.1-6; Js 7 e Mt 4.1-11.
Z – Zomba: O diabo zomba e escarnece das coisas de Deus. Pode ter certeza que você será zombado. Mas lembre-se que isto é uma prova evidente que você nasceu na família de Deus e não pertence a este mundo. 1Jo 3.1,2, 8; Jô 15.18,19; Sl 119.51; PV 14.9; Lc 22.63; At 2.13.
E – Engana: Promete o melhor, mas a sua real intenção é deixar a pessoa na pior. Leva a pessoa a uma troca de valores, o certo se torna errado e o errado se torna certo. Seduz para o mal. 2Co 11.3; 13,14; 1Jo 3.8; 1Co 10.13; Pv 14.12; Ef 6.11,12; Ap 12.9; 20.3.
D – Destrói: “Seu desejo desde o princípio foi destruir a criação de Deus”. O diabo pode até dar alguma ilusão e sensação de bem estar momentâneo, mas com a finalidade de destruir friamente aqueles que lhe obedecem. 1Pe 5.8; Jô 10.10; Ap 2.10. Dn 8.25.
U – Usurpa: O diabo sempre teve o desejo de tomar o lugar de Deus. E até hoje ele usurpa na vida das pessoas o lugar que não lhe pertence. Is 14.12-14; 1Ts 2.18; 2Co 4.4; Jo 12.31,14. 30; 16.11; 1Co 10.19,20.
M – Mente: “Não somente se opõem à verdade, como esconde e deturpa a verdade”. Jo 8.44; Gn 2.14,15; 3.4; 2Ts 2.8-11.
E – Escraviza: Tenta com toda sua astúcia fazer dos homens seus fantoches. 2Co 10.4; At 26.18; Ap 20.10,15; Hb 2.14,15.

A VITÓRIA DE DEUS
O Dia “D”...
“Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecerdes inabaláveis”. (Ef 6.13)

            As maquinações e armadilhas de Satanás têm como objetivo desviá-lo do propósito de glorificar a Deus no corpo na alma e no espírito. Devemos aprender, não só fechar a porta para as tentações, como destruir as fortalezas malignas e sofismas que se alojam em nossas mentes e corações. (Ef 4.27; 2Co 10.4) A palavra de Deus nos diz que não nos sobrevirá tentação que não seja humana, mas Deus é fiel e não permitirá que sejamos tentados além de nossas forças, pelo contrário juntamente com a tentação vos proverá um livramento para que possamos suportar. (1Co 10.13). Vejamos alguns livramentos de Deus para vencer o “azedume” do diabo no dia “D”, ou seja, dia da tentação, lembre-se da letra “D”.
Deus:  Em primeiro lugar é preciso se sujeitar a Deus (Tg 4.7) e nos revestirmos da “Verdade” que é Cristo e sua Palavra (Jô 14.6; 17.17). Se Deus o justificar ninguém mais poderá condená-lo, se Ele e sua verdade vos libertar sereis verdadeiramente livre. (Rm 8.31; Jo 8.32; 36).
Devoção: Em segundo lugar é preciso manter uma vida devocional, Isto é, ter um tempo a sós com Deus falando com ele e deixando-o falar a seu coração. Sl 1.2,3; Js 1.8; Sl 119.9-11, 97.
Dependência: Este “D” nos fala de uma vida de oração, devemos orar a Deus para não cairmos em tentação (Mt 26.44); depender do poder do Espírito e não de nós mesmos, ou de nossa carne (Gl 5.16.17) e nos revestirmos diariamente da “Armadura de Deus”. Ef 6.10-18.
Decisão: Deus nos criou com livre arbítrio, ou seja, com a capacidade de decidir. É você que escolhe obedecer ou desobedecer a Deus. Muitas vezes decidimos pelo errado porque não dependemos do Espírito em nossas decisões (Rm 7.23), porque não buscamos a vontade de Deus em sua Palavra, porque não pensamos nas consequências da desobediência e nas vantagens de obedecer. Da decisão nasce o desejo, assim como a emoção é consequência de uma ação. Portanto o desejo para vencer as tentações nascerá de um coração obediente. Ap 2.5; Js 24.15.
Deixar: O deixar não é tão simples para muitos e para os diversos tipos de tentações e pecados. Mas uma vez que você decidiu e isto é o seu desejo. Você terá que abandonar, destruir ou deletar todos os laços ou objetos do pecado. Por exemplo, jogue todo tipo de droga fora, quebre e rasgue revistas sujas, CDs e fitas mundanas, baralhos etc. Este deixar pode ser um “deixar” geográfico (abandone certos caminhos); Um deixar emocional (abandone certos pensamentos); um deixar social (abandone certos grupos); um deixar físico, (abandone certos hábitos) e um deixar espiritual (você terá que abandonar pactos, objetos de adoração, quadros, religião, e amuletos que antes eram importantes, mas que hoje só atrapalham). Is 55.6,7; 1Co 15.34; Js 7. Rm 12.2; Ef 5.14; Tg 4.4.
Domínio: O domínio próprio faz parte do fruto de Espírito descrito em Gl 5.22,23. Você deve cultivar o domínio próprio não deixando que o mal penetre em sua vida. Para isso cuide se seus pensamentos (Fp 4.8), Não dê brecha ao inimigo, um pequeno pecado chama a outro pecado (Sl 42.7), seja sensível a voz do Espírito (Cl 3.13). Um homem sem domínio próprio é como uma cidade sem muros. (Pv 25.28).
Despertar: Não podemos cair no sono espiritual, a palavra nos exorta a acordarmos e estarmos sempre vigilantes. Ef 5.14; 1Pe 5.8. Não fique parado, aquele que para no meio de uma correnteza acaba sendo levado para trás. Pratique as obras de Deus oferecendo os seus membros como instrumentos de justiça. Rm 6.12,13; Ap 2.4,5.

“Sede sóbrio e vigilante. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar;” (1 Pedro 5:8).

Material extraído do nosso livro de discipulado "FIRMADOS NA ROCHA".





Nenhum comentário:

Postar um comentário